Otávio: desconfiança, ofertas e redenção no Bordeaux

O sonho de jogar no futebol europeu cobra seu preço. É preciso mais do que talento para vencer. Acima de tudo, exige adaptação a uma nova cultura, uma nova língua, uma nova filosofia de trabalho. Otávio que o diga. O volante criado no Athletico-PR se transferiu para o Bordeaux em 2017, mas quase viu seu sonho ruir. Jogou pouco, enfrentou desconfiança e teve propostas de Grêmio e Santos para voltar pra casa. Decidiu ficar. Eis que, em sua segunda temporada no Bordeaux, Otávio deu a volta por cima e provou seu valor.

A temporada de Otávio foi uma mistura de sentimentos. Em primeiro lugar, seu clube ficou devendo em termos de resultados. O Bordeaux foi eliminado na primeira fase da Liga Europa e terminou na 14ª colocação da Ligue 1, a pior campanha em 14 anos.

No entanto, foi uma temporada de afirmação para o brasileiro. Otávio jogou 44 partidas, sendo 33 delas na Ligue 1, e foi o líder de desarmes no Campeonato Francês (127).

Otávio também liderou o quesito entre os brasileiros nas ligas europeias, superando Allan (106), Casemiro (86), entre outros. Nenhuma novidade para quem o acompanhou no Brasil. No Athletico, ele já havia sido o maior ladrão de bolas do Brasileirão de 2015, com 132 desarmes em 32 jogos.

“Foi um ano de afirmação de tudo que eu já tinha feito, e também para mostrar porque eu fui contratado pelo Bordeaux. Infelizmente os resultados não vieram. Tivemos mudanças de proprietário [o clube foi comprado por um grupo americano], três treinadores, mudança de filosofia, e isso transfere para o campo. Mas a próxima temporada será de maiores certezas para nós”, disse Otávio em entrevista exclusiva ao Torcedor de Sofá.

Otávio foi o maior ladrão de bolas da temporada no Campeonato Francês. Foto: Reprodução
Otávio foi o maior ladrão de bolas da temporada no Campeonato Francês. Foto: Reprodução

Evolução de Otávio no Bordeaux

Comprado pelo Bordeaux por 7,5 milhões de euros em 2017, Otávio teve uma primeira temporada discreta na Europa, com apenas 21 jogos disputados. Agora, o alagoano não apenas é titular absoluto, como também está mais adaptado à França, até mesmo respondendo em francês nas coletivas.

 

Neste período de adaptação, Otávio citou a intensidade do futebol francês como um dos principais desafios, inclusive fazendo um paralelo com o futebol brasileiro.

“Quando cheguei aqui, a primeira coisa que senti foi a intensidade do jogo. É muito rápido. Num dia que você entra um pouco mais desatento, você é surpreendido. No Brasil, a sequência de jogos e de viagens longas é muito grande, e o futebol não fica tão dinâmico por conta do desgaste. Na França, é intensidade altíssima do primeiro ao último jogo”, contou Otávio.

5 números de Otávio no Bordeaux:

• 3.8 desarmes por jogo (líder no quesito)
• Top-10 de meio-campistas em % de passes certos (89,1%) na Ligue 1
• 5º brasileiro com mais minutos na Ligue 1
• 65 partidas em duas temporadas nos Girondins
• 10º brasileiro a jogar pelo Bordeaux nesta década

Volante alagoano teve a sua primeira temporada de destaque na Europa. Foto: Reprodução/Bordeaux
Otávio teve a sua primeira temporada de destaque na Europa. Foto: Reprodução/Bordeaux

Desconfiança e volta por cima

Ao dizer repetidamente que provou seu valor na França, Otávio não fala da boca pra fora. O brasileiro enfrentou desconfiança dentro do próprio clube, e seu futuro no Bordeaux esteve ameaçado após a primeira temporada.

“Havia uma dúvida se eu era o jogador ideal para aquele momento do clube, se eu ia conseguir me adaptar. Queriam contar comigo, mas é como se não fizesse diferença pra eles se eu saísse. Isso deixa o atleta frustrado com as coisas, mas eu sentia que tinha algo a mais para fazer lá dentro”, desabafou.

Foi exatamente neste período que Otávio recebeu inúmeras propostas. Ao Torcedor de Sofá, o volante revelou que foi procurado por Grêmio e Santos. Ele também foi sondado pelo Rayo Vallecano, pelo Panathinaikos e por um clube da Turquia. Mesmo assim, decidiu continuar.

“Não seria bom ficar seis meses e depois ir embora. Meus empresários entenderam minha vontade. Se fossem outros, fariam de tudo pra eu sair. A sabedoria de poder continuar foi uma bênção, porque eu pude confirmar tudo aquilo que eu estava trabalhando”.

Apoio interno

Para dar a volta por cima, Otávio contou com a ajuda principalmente do núcleo sul-americano do Bordeaux. “O Malcom me ajudou muito, o [Jonathan] Cafu, o Matheus Pereira, o próprio Valentín Vada, que é argentino, e o Diego Rolán”. Mas quando todos eles foram embora, ficou aquele que se tornou o grande mentor de Otávio: o zagueiro Pablo, ex-Corinthians.

“Tenho o Pablo como um irmão. Ele ajudou bastante na minha adaptação, é um cara super profissional. A esposa dele também ajudou a minha, era um momento onde as coisas estavam difíceis pra gente. E foi nesse momento de adversidade que eu me aproximei de Deus e procurei melhorar em todas as áreas da minha vida”.

Otávio e Pablo, os brasileiros do elenco do Bordeaux. Foto: Reprodução/Bordeaux
Otávio e Pablo, os brasileiros do elenco do Bordeaux. Foto: Reprodução/Bordeaux

Athletico Paranaense

De longe, Otávio segue acompanhando o futebol brasileiro – agora mais de perto, já que passa férias em Curitiba. No Furacão, vê outros jovens prestes a seguirem seu caminho. Renan Lodi, Bruno Guimarães e Léo Pereira, as coqueluches do clube paranaense, em breve prometem se aventurar no futebol europeu.

“O Athletico é um clube de excelência na formação. Poucos fazem como eles. É um clube que prepara o atleta e o coloca no momento certo, e que também não aceita qualquer proposta. Com toda essa estrutura, investimento e planejamento, tem tudo para evoluir cada vez mais”.

Volante alagoano foi revelado no Furacão. Foto: Reprodução
Volante alagoano foi revelado no Furacão. Foto: Reprodução

O alagoano fala com propriedade, afinal, foi criado no Athletico e jogou de 2014 a 2017 como profissional. O crescimento do trio supracitado não o surpreende. “Quem trabalhou com esses atletas já sabia de todo potencial. Agora estão evoluindo e demonstrando toda essa qualidade no cenário brasileiro”.

Seleção brasileira

A posição de Otávio foi uma das principais incógnitas da seleção no ciclo pré-Copa América. Ao tentar encontrar um reserva para Casemiro, Tite convocou nomes como Walace, do Hannover 96, e Andreas Pereira, do Manchester United. Na lista final, decidiu por Fernandinho.

Apesar do sonho em jogar pela seleção, Otávio sabia que dificilmente seria lembrado. “Todo atleta pensa em seleção, mas com certeza não estava esperando. Meu objetivo principal era me afirmar como titular no Bordeaux. A próxima temporada vai me dar uma projeção maior, e aí sim posso começar a pensar em seleção, que é o meu sonho”.

Futuro de Otávio e do Bordeaux

Para 2019-20, o objetivo de Otávio é classificar o Bordeaux para uma competição europeia. No entanto, o elenco do time deve sofrer muitas mudanças. Yann Karamoh e Sergi Palencia não continuam no clube, enquanto outros destaques, como Youssouf Sabaly e o artilheiro François Kamano, também podem estar de partida.

Até o momento, a única contratação oficial do clube é a do zagueiro Mexer (Rennes), embora haja outros especulados, como o português Adrien Silva e o brasileiro Guilherme Arana.

Prestes a iniciar sua terceira temporada no Velho Continente, Otávio agora tem um entorno de respaldo e confiança. Sem dúvida, ingredientes perfeitos para alçar um novo patamar na carreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *