Vice na Turquia, Júnior Caiçara vira desejo do Besiktas

A história de Júnior Caiçara é igual a de muitos brasileiros no mundo da bola: a de quem deixou o país tão cedo para alavancar a carreira que hoje poderia andar despercebido no Brasil. Entretanto, em nove anos longe de casa, o brasileiro construiu uma reputação sólida no futebol internacional. Jogou em quatro países europeus e atualmente está no Istanbul Basaksehir, vice-campeão turco. É possível que o lateral mude de clube na janela de transferências, mas não de país: Júnior Caiçara está sendo procurado pelo gigante Besiktas.

Júnior Caiçara conversou com o Torcedor de Sofá, onde recordou grandes momentos da carreira e falou sobre seu momento na Turquia. Apesar do vice-campeonato, foi uma temporada um tanto frustrante. O Basaksehir liderou o Campeonato Turco por 20 rodadas consecutivas, mas acabou ultrapassado pelo Galatasaray na reta final e perdeu o que seria um título inédito.

“Na verdade até agora acho que não digerimos essa derrota. Estivemos na frente por quase toda a competição, mas no fim perdemos a vantagem e perdemos o título. Fica um grande aprendizado e é difícil até explicar”, confessou Caiçara. “Mas o título é questão de tempo e, espero que quando acontecer, eu esteja aqui”, completou.

Leia também:
Entrevista com Otávio: desconfiança, ofertas e redenção no Bordeaux

Interesse do Besiktas por Júnior Caiçara

Entretanto, esta pode ter sido a última temporada de Júnior Caiçara pelo Basaksehir. Isto porque o treinador do clube, Abdullah Avci, rumou para o Besiktas. E nesta janela de transferências, Caiçara é a prioridade de Avci para o gigante turco, que só dispõe de Gökhan Gönül para a lateral-direita.

Júnior Caiçara, entretanto, ainda desconversa sobre o interesse do Besiktas, por mais que a imprensa turca assegure o interesse. “Sempre surgem vários contatos, mas a princípio continuo no Basaksehir. Classificamos para as eliminatórias da Liga dos Campeões e nosso grande objetivo é classificar para a fase de grupos”.

 

Aventura europeia

Formado no São Vicente e profissionalizado no Santo André, Júnior Caiçara deixou o Brasil aos 21 anos, rumo ao Gil Vicente, de Portugal. Antes do Basaksehir, o brasileiro também passou pelo Ludogorets, da Bulgária, e pelo maior clube da carreira: o Schalke 04, da Alemanha, onde passou uma temporada e meia.

Na Alemanha, Caiçara foi titular durante toda a primeira temporada, jogando 23 partidas na Bundesliga e outras sete na Liga Europa. Na época seguinte, o brasileiro ficou fora dos planos e rumou para a Turquia.

“Foi um oportunidade boa. Com a troca de técnico [André Bretenreiter por Markus Weinzierl] acabei perdendo um pouco de espaço, mas isso é do futebol. É uma grande equipe, joguei com jogadores de alto nível, num período importante para o futebol alemão. Cresci bastante dentro de campo e fora também”, valorizou.

O melhor com quem já jogou

No Schalke, Júnior Caiçara teve a oportunidade de treinar e jogar com grandes nomes do futebol mundial, como Leroy Sané, hoje no Manchester City. Também jogou com Julian Draxler, até pouco tempo atrás apontado como desafeto de Neymar no PSG, mas com quem Caiçara afirma “nunca ter tido problemas”.

Lateral brasileiro jogou por uma temporada e meia no Schalke 04. Foto: Reprodução/Schalke 04
Lateral brasileiro jogou por uma temporada e meia no Schalke 04. Foto: Reprodução/Schalke 04

Entretanto, ao ser perguntado quem foi o companheiro de clube que mais lhe impressionou na carreira, a resposta é surpreendente. “Eu já joguei com muitos atletas de qualidade, fica até complicado falar só um. Mas o Huntelaar me chamou bastante a atenção. Ele tinha faro de gol, era matador nato. A bola caía no pé dele e ele guardava”, relembra Caiçara. Na temporada em que jogaram juntos, o holandês fez 12 gols no Campeonato Alemão.

Por fim, Caiçara também deixou em aberto a possibilidade de jogar no Brasil futuramente. O lateral foi procurado pelo Internacional entre o fim de 2017 e o início de 2018, mas o jogador e seu staff decidiram pela permanência na Turquia.

“Sempre que posso, acompanho o futebol brasileiro. Saí cedo do Brasil, futuramente tenho a intenção de voltar. Tive uma sondagem do Inter na temporada passada, mas acabou não se concretizando”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *