Eden Hazard: o mais encantador dos terráqueos

A tecnologia universalizou o acesso aos dados no futebol, mas os scouts por si só jamais resumirão este esporte. A essência deste jogo, assim como em outras coisas na vida, está nas experiências. Como ver aquele jogador que, como se diz popularmente, vale o ingresso. Aquele jogador especial, que quando a bola gruda no pé, você nunca sabe qual será a próxima ação. Na atualidade, ninguém oferece uma experiência tão mágica quanto o extraterrestre Lionel Messi. Entre os terráqueos, o mais encantador atende por Eden Hazard.

Hazard foi o protagonista da vitória acachapante do Chelsea na final da Liga Europa. Ao que tudo indica, o seu último jogo pelo clube antes de partir para o Real Madrid. Hazard se despede de Londres após sete anos e 352 jogos, com 110 gols, 92 assistências e 6 títulos. Mesmo diante de tais números, a frieza deles é incapaz de traduzir a magnífica experiência de ver o belga jogar.

Jardim do Eden

Há vários jogadores especiais no futebol atual, mas Eden Hazard faz parte de uma categoria ainda mais restrita: a dos que são, por si só, um entretenimento. Eden se diverte com a bola, e isto é visível em cada gesto. Vê-lo jogar resgata aquela sensação gostosa de brincar de bola nas ruas, nos campinhos, no quintal de casa. É o Jardim do Eden, com o perdão do trocadilho.

Poucos jogadores combinam a dose de talento e brilho do belga. Tão fascinante quanto isso é Hazard agir como um showman com a bola, mas sem se colocar acima do time. A ética de trabalho do camisa 10 é admirável. Em vias de se transferir para o maior clube do planeta, continuou jogando com tamanho afinco e dedicação.

Leia também:
Giroud, um ‘mal necessário’ para a França campeã do mundo

Lembrar de Hazard é lembrar de algum drible, de alguma arrancada passando batido pelos adversários, de algum improviso que só os gênios conseguem tirar da cartola. Piscar os olhos não é uma opção quando Eden toca na pelota.

Estes ingredientes vão além de qualquer estatística. Um pequeno exercício de memória: qual foi a melhor atuação individual da Copa da Rússia? Eden Hazard contra o Brasil. Porém, na frieza do scout, seu desempenho naquela noite se resumiu a zero gols e zero assistências. Os 10 dribles registrados até podem dar o tom, mas a magia do belga foi ainda mais além.

O novo desafio de Eden Hazard

Para o torcedor do Chelsea, resta a despedida daquele que já é uma das maiores lendas da história do clube. Hazard dá adeus com um título europeu, mas sabemos que não é AQUELE título europeu. Em sete anos, o Chelsea foi incapaz de construir um projeto à altura de sua estrela. Mas as lembranças proporcionadas por ele são muito maiores do que qualquer desajuste.

No Real Madrid, a carreira de Hazard atingirá um novo patamar. Brigará pela maior competição do continente, pela Bola de Ouro e todos os outros prestígios que envolvem este esporte. Mas, acima de tudo, Hazard levará para a Espanha um ingrediente especial para abrilhantar as semanas de La Liga: a sua arte de jogar bola.

Eden Hazard não é Messi e nem há de sê-lo. Mas, entre os craques de carne e osso, é quem mais dá prazer ao desfilar nos gramados. Seja na Inglaterra, na Espanha ou em qualquer outro lugar do mundo, apenas aprecie a intimidade entre Hazard e a bola. Você não vai querer perder esse espetáculo.

Gostou do artigo? Aproveite para escrever nos comentários quem são os jogadores que te fazem parar tudo para vê-los jogar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *