A vitória de Johan Cruyff e do Ajax

Quando a relação entre Johan Cruyff e Sandro Rosell azedou de vez no Barcelona, em meados de 2011 (ano em que o clube conquistou a Champions), Cruyff decidiu migrar seus esforços para o clube que o projetou: o Ajax.

Naquele momento, o seu clube de infância estava anos-luz da era de ouro do Futebol Total. Era, na verdade, um cenário irreconhecível. “Esse não é mais o Ajax”, já havia escrito em sua saudosa coluna no ‘De Telegraaf’.

Cruyff e um conselho de ex-jogadores, como van der Sar, Overmars e Bergkamp, fizeram o Ajax se reconectar com suas raízes, especialmente em termos de formação de jogadores.

É verdade que este retorno foi breve, mas as fundações de sua obra perduram até hoje. A ideologia de Cruyff, glamourizada no Barcelona, é seguida como uma religião na base do Ajax. O talento voltou a ser prioridade máxima, independentemente do físico ou altura.

As 14 regras de Johan Cruyff, seguidas à risca na formação no Ajax. Foto: Reprodução

Cruyff sonhava em ver o Ajax voltar a praticar o Futebol Total. E se isso ainda efetivamente não aconteceu, o clube holandês voltou a jogar como um gigante europeu. O 4 a 1 no Santiago Bernabéu já está na história, tal como aquele 5-0 do Barcelona de Cruyff no mesmo Bernabéu, em 1974.

Fábrica de talentos

Oito dos 14 jogadores do Ajax que entraram em campo no Bernabéu são produtos de De Toekomst, a academia de jovens do clube. Uma linhagem especialíssima, sobretudo nas figuras de Matthijs de Ligt e Frenkie de Jong.

Esta, provavelmente, é a última Champions da dupla com a camisa do Ajax. Frenkie já está contratado pelo Barcelona, e De Ligt também está destinado a uma grande transferência. Porém, se para alguns clubes isso seria um pesadelo, para o Ajax é só o fim de um ciclo: sempre há outros meninos talentosos esperando na fila.

Frenkie de Jong, um dos grandes nomes da eliminatória vencida pelo Ajax. Foto: Reprodução/AFC Ajax

Mas não se engane: ainda que a formação seja prioridade, o clube é sedento por vitórias. É por essas e outras que o Ajax busca jogadores como Dusan Tadic, dono da atuação mais memorável da goleada acachapante na Espanha.

Cruyff sempre foi um homem à frente do seu tempo. A reconstrução do Ajax, idealizada por ele, atingiu o seu ponto máximo. Mas o pai do futebol holandês infelizmente não está mais aqui para contemplar uma obra que também é sua.

Quis o destino que a histórica vitória no Bernabéu terminasse com um 1-4. O 1 e o 4 que formam o 14 que sempre será de Johan Cruyff.

Até onde o Ajax, com o DNA de Johan Cruyff, pode chegar na Liga dos Campeões? Deixe seu comentário abaixo!

2 comentários em “A vitória de Johan Cruyff e do Ajax

  • março 6, 2019 em 1:36 am
    Permalink

    Tem mais, some essa vitória as 2 vitórias do Barcelona na última semana no Bernabeu e veremos que o nome e o legado Johan Cruyff foi honrado com louvor nesses últimos dias. E se você for ao Twitter agora, verá o nome dele nos trending topics. Cruyff Vive!

    Resposta
    • março 6, 2019 em 2:03 am
      Permalink

      Ótima lembrança, Alexandre! Certamente, onde estiver, Johan está orgulhoso de seu legado prosperando dessa forma! O futebol tem uma dívida de gratidão com este homem.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *