10 momentos marcantes da Copa da Rússia

Foi bom enquanto durou. Mais uma Copa do Mundo se vai com um gostinho de quero mais, e viver sem ela é um duro choque de realidade – especialmente com dois jogos de Copa do Brasil logo no dia seguinte. Mas como a nossa cabeça ainda está em outra Copa – a da Rússia, claro -, é hora de relembrar os momentos mais marcantes do Mundial vencido pela França. Vamos à lista:

Só quer VAR, só quer VAR…

O VAR entrou em ação 23 vezes na Copa. Foto: Reprodução/Fifa

Não poderíamos começar de outra maneira. A arbitragem de vídeo foi protagonista em toda a Copa da Rússia. Desde a sua primeira aplicação, no pênalti convertido por Griezmann em França x Austrália – jogo que ainda teve um gol confirmado pelo chip na bola -, a tecnologia entrou em campo e veio para ficar. O VAR também entrou em ação na grande final, curiosamente na marcação de outro pênalti pra França.

Primeiro gol do Panamá

Baloy, com passagem pelo futebol brasileiro, fez gol histórico na Rússia. Foto: Reprodução/Fifa

É possível comemorar um gol quando seu time está perdendo por 6 a 0? A Copa nos ensinou que sim. O gol de Baloy (AQUELE mesmo) contra a Inglaterra foi o primeiro do Panamá na história das Copas, motivo de orgulho para os mais de quatro milhões de habitantes do país.

Iranianas na arquibancada

Iranianas quebraram barreiras na Rússia. Foto: Reprodução/Fifa

Proibidas de frequentar estádios no próprio país, as mulheres iranianas invadiram as arquibancadas na Rússia e puderam desfrutar das emoções do maior esporte do planeta. O Mundial também marcou a presença da primeira jornalista mulher iraniana na história das Copas.

Comemoração suíça

Shaqiri e a simbologia da águia na comemoração. Foto: Reprodução/Fifa

Quem diz que futebol e política não se misturam não compreende a importância social do esporte. As manifestações mais emblemáticas foram protagonizadas por jogadores: Xhaka e Shaqiri. Ao marcarem os gols da vitória da Suíça contra a Sérvia, os dois comemoraram fazendo alusão à águia preta de duas cabeças da bandeira da Albânia. Um feito cheio de simbologia, pois ambos são de origem kosovar – Kosovo e a ex-Iugoslávia travaram uma guerra entre os anos de 1998 e 1999.

Virada da Alemanha

Kroos e o gol mais dramático da Copa do Mundo. Foto: Reprodução/Fifa

A até então atual campeã mundial foi a grande decepção do Mundial, mas brindou o público com a vitória mais dramática do torneio. Quando Alemanha e Suécia empatavam em 1 a 1, Toni Kroos marcou um golaço de falta aos 50 minutos do segundo tempo, no último lance do jogo. Mas nem o milagre foi capaz de classificar os germânicos, que perderam no jogo seguinte.

Recorde de El Hadary

El Hadary quebrou o recorde de Roger Milla na história das Copas. Foto: Reprodução/Fifa

Aos 45 anos, o goleiro egípcio Essam El-Hadary quebrou o recorde de atleta mais velho a disputar uma partida de Copas do Mundo. Ele entrou em campo no último jogo da primeira fase, contra a Arábia Saudita. Como se não bastasse, ele ainda pegou um pênalti – se tornando assim também o goleiro mais velho a defender um pênalti em Copas, recorde que dificilmente será superado.

A consagração da geração belga

Kevin De Bruyne fez um dos gols da vitória histórica da Bélgica sobre o Brasil. Foto: Reprodução/Fifa

Alvo de muitos elogios e algumas ironias, a Copa da Rússia marcou a consagração da tão falada geração belga. E quem se recusou a considerá-la como ‘ótima’ teve de dar o braço a torcer, especialmente quando os belgas mandaram a seleção brasileira de volta pra casa. Os primeiros 30 minutos de Hazard, De Bruyne e Lukaku foram determinantes para a Bélgica chegar à semifinal e, posteriormente, ficar com o terceiro lugar da Copa.

O fotógrafo que virou celebridade

O fotógrafo que entrou para a história da Copa do Mundo. Foto: Reprodução/Fifa

Nem só os países que disputaram a Copa tiveram seus momentos durante o Mundial. Até El Salvador entrou no bolo. No jogo entre Croácia e Inglaterra, o fotógrafo salvadorenho Yuri Cortez virou celebridade quando foi acidentalmente derrubado pelos jogadores croatas na comemoração do gol decisivo. Uma cena que entrou para a história das Copas – e que gerou fotos absolutamente brilhantes.

Hino à capela

 

O hexa não veio, mas o Brasil tinha que estar nessa lista, né? Foram muitos momentos envolvendo direta ou indiretamente a seleção. O canarinho pistola, o feiticeiro do hexa…mas ficamos com o hino à capela cantado pelos brasileiros em todos os jogos da seleção, um verdadeiro flashback de 2014 – mas ainda mais impressionante por ter sido uma Copa tão distante do Brasil. O empresariado brasileiro nos representou com muito orgulho e muito amor – mas sem essa musiquinha manjada, e sim com paródias até criativas.

Depoimento de Casão

 

Tem quem não se emocionou com o depoimento do Casagrande na Globo? Ele se propôs a chegar e sair da Rússia sóbrio, conseguiu e foi às lágrimas ao final da transmissão – junto com Galvão, inclusive. Casão é um grande exemplo de perseverança.

Num piscar de olhos, a Copa passou e já deixa muita saudade. Esqueci de algum outro grande momento? Teve Harry Kane pedindo música no Fantástico, o embaixador sul-coreano virando tequila no México…enfim, comente aqui embaixo com a sua lembrança favorita – e vamos chorar juntos de abstinência!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *